Archive for 2010

12/03/2010 1

Mudanças

By Almi Junior

Alguns hábitos pequenos
Se fazem vitais
A partir de certo
Momento

Pequenos carinhos
Fazem falta
Quando são substituídos
Por tardes em frente a televisão

Pequenos beijos
Fazem falta
Quando em seu lugar
Fica o sorriso do outro lado da sala

É como mudar um móvel
E sentir
Que a casa inteira mudou

Pegar outra rua um dia
E sentir
Que a cidade inteira mudou

Ficar do lado
Como se tivesse ido embora
Ido embora
Sem ter dito tchau

11/26/2010 1

Sim e não

By Almi Junior

Ele dizia que não
Ela dizia que sim
O espaço entre o calor e a mão
Um olhar no osso
O outro no cão.

E espaço entre o coração enfurecido
O orgulho ferido
E o vento leve do perdão.

E assim ficaram a tarde inteira
Nos deletérios da negação
Até encontrarem
Mesmo que ríspido
O abraço seco da solidão.

11/24/2010 1

O trabalho de sentir

By Almi Junior


O nevoeiro, feito parede sólida
Poeira densa de teimosia
Faz dos olhos ferramentas inúteis
E alarma nossa pele

Tirando nosso mau costume
De querer apenas ver
De sentir o sabor
Bem depois de beber

De ver a luz
Bem depois de sair do túnel

Acreditar que há fundo
Depois das cobertas grossas d’água
No mar

Que uma palavra
Pode calar

11/21/2010 1

Dos meus dedos

By Almi Junior

Dos meus dedos
Fluem palavras
Que buscam a imortalidade
Beijando as folhas
Ex-brancas folhas
E as paredes nuas da cidade
Agora cobertas das palavras
Que soltei por aí
Enquanto tirava manchas de café
Ligava pra minha mulher
Quando dormi
E acordei no meio da praia
Com minhas palavras amarradas
Usadas de cobaia
Pro experimento da mente
De fazer da poesia
Corte fino de navalha
Feito faca cegamolada
Que corta quando quer
São minhas palavras
Poéticamoladas
Que passam dos meus dedos
Deixando cortes
E sangue sobre a folha
Heranças inestimáveis

5/12/2010 5

Sobre tudo

By Almi Junior

Sobre todos estes sentimentos
Minha revolta nega-se a falar
E de todos nossos momentos
A mente nega-se a lembrar

Por mais que fique a beira de um ataque
Por mais que qualquer sorriso se torne um baque
E quando a saudade der seu riso animal

Vai ser tudo choro
Choro e reza
O amém com gosto de final
Atrás das montanhas de beijos
Que minha boca safa ainda preza

Vai ser tudo reza
Reza e choro
Enquanto a cera da vela queimar meu dedo
Meu coração já estará beijando o fogo.

4/30/2010 4

Agora

By Almi Junior

A hora de chorar é agora, amor. Tens sorte por eu ainda estar aqui, e ver tuas lágrimas e tomado por algum espírito bondoso, que insiste em permanecer em mim, eu ainda ouço teus sons produzidos por uma dor que eu não me dou ao desprazer de sentir, amor.

Juramos que sentiríamos as nossas dores juntos, juramos que juntos riríamos, juramos que juntos seriamos o que a eternidade chama de feitos um para o outro. Mas não juramos que suportaríamos o ego alheio. Quanto as coisas de que me chamaste, esquece. Limpa teus olhos porque eu já estou voltando para casa. Limpa teus olhos, porque ninguém mais quer ver tuas lágrimas.

Chore tudo hoje, porque hoje você vai lembrar que não devemos deixar a cabeça quente dominar os nossos lábios. Devemos pensar mais do que deveríamos. Devemos pensar mais do que falar. Devemos amar mais do que pensar e falar.
Eu estou sofrendo mais do que você. A diferença, é que eu penso mais do que choro.
Amor só rima com dor, para que os poetas não fiquem sem o que dizer numa despedida.

3/31/2010 3

O segredo das luas

By Almi Junior

A Lua, quando minguante
Nunca me surpreendeu.
Nunca foi tão excitante,
não tentou, nem convenceu.

Quando crescente, a Lua,
Quase que me desperta
Se não fosse a boca tua
Que deixava a minha inquieta.

A Lua nova sim, se destacou
Mas foi bem rapidamente
Pois quando teu riso doce alastrou
Me mantive louco, fremente.

Eis que a Lua cheia amarela surge
Daquela que quase pode se tocar
E você não diz nada, nem nada faz
E eu apaixono-me cada vez mais
Sem ouvir e sem falar.
Sua imagem com a Lua
Ilumina toda rua
Até a magia dos teus olhos passar.

3/28/2010 1

A dádva da dúvida

By Almi Junior

Eu não sei.
E sinceramente,
vivo saborosamente
cada instante deste mistério infinito
permaneço em gozo e grito
quando a dúvida me devora a mente.

2/22/2010 4

Suave, intenso

By Almi Junior

Tão intenso teu cheiro suave
Alimenta-se de meus segredos
Escapa-me entre os dedos
E invade

Tão suave teu cheiro intenso
Quer sempre mais onde se vê pouco
Vai da sala aos quartos, vive solto
Sobre mim, torna-se mais denso

Suavidade, intensidade
Mais do teu cheiro, menos sanidade
E beijo teus pés, beijo teu rosto
Quanto mais beijo, menos penso em teu cheiro
Mais sinto teu gosto

2/20/2010 1

Efeitos seus

By Almi Junior

O papel parece ficar
Cada vez mais pequeno
E eu começo a deslizar nele
Escrevendo

Sobre cada efeito
Que ao te ver sinto
Neste espaço estreito
Onde juro e minto

Só não minto
Quando amo

E você me faz esquecer de mentir
Esqueço de ser
Humano

2/18/2010 2

Verbo Esquecer

By Almi Junior

Ela bebia as próprias lágrimas
Para tentar se esquecer
De um dia ter chorado

Ela chicoteava a própria alma
Para tentar se esquecer
De um dia ter amado

E quando ela tentar esquecer
De um dia ter existido?

Em menos de um segundo
Tudo será esquecido.

2/17/2010 2

Olhando pro alto

By Almi Junior

Procuro uma solução por vez
Pra ver se não enlouqueço.

Derramo meu café em meu próprio peito
Finjo surdez
Sinto meu coração queimando
E ao meu cérebro desobedeço
Caio-me em risos
Preparando-me para o dia que isso realmente aconteça
Eu possa rir.

Como se estivesse deitado no colo de Deus
E de minha loucura pudesse fugir.

Mais acessados

Ocorreu um erro neste gadget

Blogroll

About

Blogger templates

Blogger news