11/08/2012 2

Flores na chuva

By Almi Junior



Vi uma flor dançar na chuva
E se transformar em mulher
A cada gota que deslizava
Cada pétala se tornou pele
Virou vestido
E ela girava
Como ave estranha no ninho

Surgia entre os cabelos molhados
Um sorriso incomum
Uma imagem desconhecida
Mas tão familiar

Vontade de estar perto
E ver além das pétalas
De estar na chuva
E ver aquela mulher ser flor
Tão linda
Tão incompreendida
Tão incompreensivelmente linda

E tudo aconteceu
Como em um sonho
Não consigo diferenciar as cores
Os perfumes
E não consigo descrever perfeitamente o seu sorriso
É tudo tão sagrado
E tão estranho

Mas estranhos são os olhos
Que ainda não foram feitos pra te ver
Estranho é o ninho
Que não comporta você

Nunca pensei que a chuva
Me causaria todas essas alucinações

Chuva tem mania de virar poesia.

2 Responses to “Flores na chuva”


  1. "Mas estranhos são os olhos
    Que ainda não foram feitos pra te ver"

    Qualquer flor que vira mulher e dança na chuva, causa aluncinações... menos aos cegos... rsrs...
    Magnífico. Gostei deste poema e de mais 4 ou 5 que li.
    Um abraço.

  2. Vindo de ti isso vale muito para mim.
    Muito obrigado por isto e por ter vindo ao meu blog. rs

    Abraços

Leave a Reply

Quem controla os seus versos?

Mais acessados

Ocorreu um erro neste gadget

Blogroll

About

Blogger templates

Blogger news