Archive for Novembro 2010

11/26/2010 1

Sim e não

By Almi Junior

Ele dizia que não
Ela dizia que sim
O espaço entre o calor e a mão
Um olhar no osso
O outro no cão.

E espaço entre o coração enfurecido
O orgulho ferido
E o vento leve do perdão.

E assim ficaram a tarde inteira
Nos deletérios da negação
Até encontrarem
Mesmo que ríspido
O abraço seco da solidão.

11/24/2010 1

O trabalho de sentir

By Almi Junior


O nevoeiro, feito parede sólida
Poeira densa de teimosia
Faz dos olhos ferramentas inúteis
E alarma nossa pele

Tirando nosso mau costume
De querer apenas ver
De sentir o sabor
Bem depois de beber

De ver a luz
Bem depois de sair do túnel

Acreditar que há fundo
Depois das cobertas grossas d’água
No mar

Que uma palavra
Pode calar

11/21/2010 1

Dos meus dedos

By Almi Junior

Dos meus dedos
Fluem palavras
Que buscam a imortalidade
Beijando as folhas
Ex-brancas folhas
E as paredes nuas da cidade
Agora cobertas das palavras
Que soltei por aí
Enquanto tirava manchas de café
Ligava pra minha mulher
Quando dormi
E acordei no meio da praia
Com minhas palavras amarradas
Usadas de cobaia
Pro experimento da mente
De fazer da poesia
Corte fino de navalha
Feito faca cegamolada
Que corta quando quer
São minhas palavras
Poéticamoladas
Que passam dos meus dedos
Deixando cortes
E sangue sobre a folha
Heranças inestimáveis

Mais acessados

Ocorreu um erro neste gadget

Blogroll

About

Blogger templates

Blogger news