11/21/2009 0

Imperceptíveis

By Almi Junior

Crianças jogando futebol na porta de casa,
As donas de Casa na porta de casa,
Os pequenos artistas que desenham o Sol na areia quente,
E o sorriso de poucos dentes ilumina seu dia escuro,
Irradia o sol, por trás da casa velha.
Carros, motos, pessoas...
Todas por ali transitam.
Inusitadamente,
Imperceptíveis.
O choro das crianças agora não é de fome,
O olhar que penetra os carros não é de entusiasmo;
A revolta, a voz, o grito.
A lagrima que agora desce devagar,
É de um homem que não agüenta mais ser,
Inusitadamente,
Imperceptível.

Leave a Reply

Quem controla os seus versos?

Mais acessados

Ocorreu um erro neste gadget

Blogroll

About

Blogger templates

Blogger news