11/23/2011 1

Não agora

By Almi Junior

Noites imensas
Fragmentadas
Sobre segundos que disparam
Em visões intensas
Bocas caladas
Vontades que não param
Aumentam
Alimentam
Mas a fome
Nunca passa
Só seu nome
Ultrapassa
Este céu frio
Transpassa
Minha pele
Repele
Meu passado
Permaneço assim, calado
Enquanto a Lua me atravessa
E fere
Fico aqui do seu lado
Mas não quero abrir os olhos

Não agora

One Response to “Não agora”

  1. Anônimo says:

    curti muito esses poemas! parabens

Leave a Reply

Quem controla os seus versos?

Mais acessados

Ocorreu um erro neste gadget

Blogroll

About

Blogger templates

Blogger news