11/24/2009 2

O tal do Amor

By Almi Junior

E o corpo pede, clama
chora e chama
doce chama inapagável
do nosso encontro intimo inevitável
que nos incendeia
queima a casa inteira
e só termina na cama.

E enfim,
seremos um
eu em tu
tu em mim.
Pois o amor não é feito de par
é egoísta.
E não importa o que irá falar,
nada que diga
mudará meu ponto de vista.
Deixe o silêncio
é a sua vez.
Deixe-o reinar.

2 Responses to “O tal do Amor”

  1. Quem dera eu soubesse rimar o amor tão bem assim...
    Gostei muito desse. Não canso de ler.

  2. O amor é a forma mais nobre de egoísmo.
    Belo!

Leave a Reply

Quem controla os seus versos?

Mais acessados

Ocorreu um erro neste gadget

Blogroll

About

Blogger templates

Blogger news